Categorias
Bem estar Suplementos

Magnésio L-Treonato é tudo igual? Não caia nessa!

Conheça o verdadeiro Magnésio L-Treonato: MAGTEIN™ o único que foi avaliado clinicamente para atuar na saúde do cérebro

Cada vez mais as pessoas buscam qualidade de vida e formas mais naturais para ajudar no tratamento, sintomas e desordens que afetam o seu bem estar de maneira geral. O desgaste mental e as queixas relacionadas às funções cognitivas que já não acompanham toda a demanda exigida para os tempos atuais, têm sido muito comuns na população idosa e também no público mais jovem. Com isso, a busca por suplementação de Magnésio é uma crescente no momento atual, tendo em vista, os seus benefícios já conhecidos sobre as funções cerebrais. Recentemente um tipo específico de Magnésio tem ganhado destaque, pelas promessas relacionadas aos seus benefícios nas funções cognitivas: o Magnésio L-Treonato. Mas será que todo suplemento nomeado de Magnésio L-Treonato é igual e, por isso, tem a capacidade de oferecer real benefício para o cérebro?

Qual a relação do Magnésio com as funções cerebrais?

O magnésio ativa centenas de reações bioquímicas dentro do organismo e não é diferente com o funcionamento cerebral. Para certas reações e comunicações nervosas acontecerem, o cérebro precisa ter disponível o magnésio nos campos de atuação. Não é à toa que fala-se tanto em suplementar o magnésio para melhorar as funções cognitivas como memória, aprendizagem e concentração. A ativação de canais específicos no campo cerebral relacionado a certas funções cognitivas, depende de magnésio disponível para a realização desse comando. Com isso, o magnésio contribui para transmissões nervosas, sendo elemento chave na plasticidade sináptica, aprendizagem e memória. Sabendo dos benefícios do magnésio para estas funções, não é difícil deduzir que a sua deficiência será refletida em algum prejuízo com relação à atuação cerebral.

Tipos de magnésio

Seja para garantir o seu consumo diário, ou apenas para oferecer ao organismo todos os benefícios que o consumo adequado de magnésio pode trazer, existem muitos tipos de magnésio, o que gera dúvida no momento da escolha. E, não só isso! A dúvida é sobre a eficácia ou atuação da variedade de magnésio e sobre o que é prometido. Afinal a procura pelo mineral magnésio está relacionada com a sua aplicação clínica e indicação. Isso não é diferente com o Magnésio L-Treonato (ou Magnésio Treonato, ou Treonato de Magnésio). Todos eles são uma variação de Magnésio associado a um elemento quelante (aminoácido), que prometem benefícios sobre as funções cerebrais. A grande dúvida por trás disso, é se realmente todo Magnésio L-Treonato é igual e por isso, vai ter a capacidade de exercer os efeitos benéficos sobre o cérebro e respectivas funções cognitivas.

Qual a diferença do MAGTEIN™ para outras formulações de Magnésio L-Treonato?

É possível encontrar no mercado vários tipos de Magnésio que propõe o aumento da disponibilidade desse mineral no cérebro. Entretanto, todos os benefícios atribuídos ao Magnésio L-treonato, foram testados apenas com MAGTEINTM, sendo que outras formulações a base de Magnésio L-treonato, não foram avaliadas clinicamente. Isso mostra a eficácia do MAGTEINTM e não de outros suplementos a base de Magnésio L-Treonato. O MAGTEINTM é uma molécula exclusiva que foi desenvolvida pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) sendo estudada e avaliada por mais de 10 anos. 

Essa é a principal diferença entre MAGTEINTM e outras formulações de Magnésio L-Treonato encontradas no mercado. Fazendo uma análise sobre as referências bibliográficas que os demais suplementos de Magnésio L-Treonato utilizam, é possível constatar, que foram estudos que utilizaram-se da suplementação com a molécula do MAGTEINTM. Logo, a eficácia que se espera para o Magnésio L-Treonato só é efetivamente oferecida por meio do MAGTEINTM.

O que os estudos mostram sobre o MAGTEIN™

O MAGTEINTM é a associação entre o mineral magnésio e o aminoácido L-Treonina. A L-Treonina faz um papel de agente quelante, para aumentar a biodisponibilidade do magnésio, transformando-o em um composto protegido de todas as barreiras de digestão. Além disso, a L-Treonina serve como um guia sinalizando para que o magnésio chegue até o seu sítio de ação, que no caso, será a fenda sináptica, melhorando a saúde cognitiva.

No estudo de Liu et al. (2016) que avaliou clinicamente 44 idosos com comprometimento cognitivo leve, durante 12 semanas, foi possível encontrar os seguintes resultados:

Redução das flutuações cognitivas: lapsos de memória

Melhora das habilidades cognitivas:

– Aumento de 13% da capacidade de memória de trabalho, que é o armazenamento temporário de informações.

– Aumento de 20% na função executiva, que é a capacidade de planejamento e execução de atividades.

O estudo ainda comprovou uma recuperação de quase 10 anos de idade cerebral dos pacientes, revertendo deficiências cognitivas e com isso, se aproximando da capacidade cerebral normal.

Já os relatos evidenciados pelos pacientes estudados foram: ganho de atenção, melhora na qualidade do sono, redução da ansiedade e melhora da memória.

Quais os benefícios do MAGTEIN™

Tendo o Magtein™ a capacidade efetiva de atravessar a barreira hematoencefálica, penetrando e com isso, aumentando a disponibilidade de magnésio no cérebro, seus principais benefícios são:

  • Aumento dos níveis de magnésio cerebral;
  • Melhora das funções cerebrais;
  • Aumento da capacidade de aprendizagem;
  • Melhora da memória de trabalho, curto e de longo prazo;
  • Melhora da função cognitiva;
  • Melhora nos distúrbios neurológicos;
  • Aumento da plasticidade sináptica;
  • Não apresenta efeitos adversos gastrointestinais.

Após 10 anos de estudos, foi comprovado que o MAGTEINTM é a única forma que aumenta a concentração de magnésio no cérebro e proporciona resultados reais para a melhora do quadro clínico dos pacientes.

É importante também destacar que o MAGTEIN™ possui uma patente de invenção, por isso, apresentou todos os estudos que comprovam seus benefícios. Ou seja, os benefícios percebidos e comprovados nos estudos científicos estão atrelados à molécula de MAGTEIN™.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *