Categorias
Bem estar Saúde em Foco

Por que suplementar ômega 3, 6 e 9?

Os ácidos graxos poli-insaturados são tipos de gorduras boas que compõem a famílias de ácidos graxos: ômega-3 (ácido linolênico) e ômega-6 (ácido linoleico). São ácidos graxos essenciais, portanto, devem ser obtidos pela dieta, para que possamos sintetizar outros tipos de ácidos graxos como o ácido araquidônico (AA), ômega-6, e os ácidos EPA e DHA.  Já o ômega-9 (ácido oleico), que também é um tipo de gordura boa, mas que faz parte da família dos ácidos graxos monoinsaturados.

É importante que se tenha uma boa relação de consumo entre eles para garantir que as funções que dependem de ácidos graxos sejam desempenhadas sem nenhum prejuízo, garantindo que o organismo se mantenha saudável.

Pensando que as fontes alimentares desses ácidos graxos são variadas e o consumo de peixe é relativamente baixo, manter uma alimentação diversificada a ponto de oferecer diariamente quantidades adequadas de ômega-3, 6 e 9 não é tarefa fácil. Por isso, é muito comum a suplementação desses ácidos graxos poli-insaturados seja de forma isolada ou em compostos que já oferecem na mesma formulação o ômega-3 (ácido linolênico), ômega-6 (ácido linoleico) e ômega-9 (ácido oleico). Conheça cada um deles:

Ômega 3

Os ácidos graxos ômega 3 têm sido amplamente estudados por seus diversos efeitos biológicos. O principal componente da família destes ácidos graxos é o ácido linolênico, encontrado em óleos vegetais e sementes (castanha do Pará, avelã, amendoim, pistache, óleo de canola; abacate, avocado e a linhaça), entretanto sabe-se atualmente que os efeitos biológicos mais discutidos estão relacionados a dois tipos encontrados em óleos extraídos de peixes de águas frias (salmão, atum, truta, arenque): o EPA e o DHA. Entre as principais funções, destacam-se a conformação das membranas celulares, assim como precursores de substâncias, como as prostaglandinas, tromboxanos e leucotrienos. Tem ação anti-inflamatória, atua nas funções cerebrais (cognição, memória, humor, depressão), protegem o coração e a visão, ajudam a normalizar os níveis de colesterol. Para a redução de triglicerídeos, a proporção de EPA deve ser maior que o de DHA.

Ômega 6

Podem ser encontrados em alguns óleos vegetais (girassol, milho, soja, nozes, amêndoas, linhaça, amendoim). Eles são importantes para diminuir a pressão arterial, melhorar a imunidade e o colesterol. Entretanto, um consumo exacerbado de ômega 6 com relação ao consumo de ômega 3, pode trazer prejuízos para a saúde. Além, de haver competição no metabolismo do ômega 3 e 6 entre as enzimas envolvidas nas reações de dessaturação e alongamento da cadeia. Desta forma, mais importante do que consumir a quantidade correta destes ácidos graxos individualmente, é manter uma razão de consumo entre eles saudável que pode ser de 5:1 de ômega 6/ômega 3 respectivamente (FAO/WHO – Food and Agriculture Organization).

Ômega 9

Ele pode ser encontrado no azeite de oliva, azeitonas, abacate, amêndoas e óleo de gergelim. Possui atividade anti-inflamatória, antitrombótica e antioxidante, além de aumentar os níveis de colesterol “bom” (HDL) e reduzir os níveis de colesterol “ruim” (LDL) e triglicerídeos e, atuar na melhora das funções imunológicas. Apesar de se tratar de tipos e fontes de gorduras diferentes, e com funções específicas no organismo, é a boa relação entre elas que garante o seu papel de melhorar a saúde.

Pensando na importância de se consumir os Ômegas 3, 6 e 9 em quantidades satisfatórias para que exerçam todas as suas funções no organismo e, é claro, na dificuldade em manter uma alimentação tão diversificada a ponto de se dispensar a suplementação destes, que são nutrientes essenciais para a saúde humana; a NatusVita oferece o: MAX EFA.

O MAX EFA é um blend de óleos vegetais que naturalmente apresenta em sua composição, o Ômegas 3, 6 e 9 para facilitar o consumo de ácidos graxos essenciais. Ficou curiosos? Confira mais detalhes em nosso site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *