Categorias
Saúde em Foco Suplementos

Qual a importância de consumir Ômega 3 extraído de peixes de águas frias?

O Ômega 3 é um ácido graxo poli-insaturado, que é um tipo de lipídio (gordura), essencial ao organismo humano. Os lipídios, assim como os carboidratos e proteínas que fazem parte dos macronutrientes que desempenham uma variedade de funções essenciais para manter a saúde e a vida humana. Os lipídios atuam no transporte de nutrientes, na geração de energia, como precursores de hormônios e determinados grupos são considerados funcionais. Dentro do grupo dos ácidos graxos poli-insaturados, destaca-se o Ômega 3, por apresentar muitos efeitos benéficos à saúde humana. As fontes alimentares de Ômega 3 são as oleaginosas (castanhas, avelã, amendoim, pistache); alguns óleos vegetais como o óleo de canola; o abacate, avocado, linhaça, alguns tipos de algas e peixes. Apesar de existirem fontes alimentares de Ômega 3 derivadas de vegetais, a recomendação para atingir as necessidades do corpo é por meio do óleo de peixe. Mas, qual a importância de consumir Ômega 3 extraído de peixes de águas frias e profundas?

Ômega 3 é tudo igual?

Dentro da classe do Ômega 3, existem dois tipos que têm sido amplamente estudados por seus diversos efeitos biológicos que é o ácido docosahexanoico (DHA) e o ácido eicosapentanoico (EPA). Isso significa que os efeitos biológicos mais importantes relacionados ao Ômega 3 está ligado ao consumo direto de DHA e EPA.

Tanto o DHA quanto o EPA são essenciais para as células do nosso corpo, pois, exercem funções importantes estruturais e orgânicas únicas.

Apesar do DHA e do EPA ser essencial para a saúde, não somos capazes de produzi-los de forma endógena, por isso, eles devem ser supridos por meio da alimentação. Entretanto, a maior fonte alimentar Ômega 3 DHA e EPA está relacionada aos peixes de águas frias (salmão, atum, truta, arenque), que se alimentam de algas marinhas produtoras de DHA e EPA. Com isso, esses peixes de águas frias, possuem grande quantidade de Ômega 3 DHA e EPA em sua composição.

Dietas restritivas com baixo teor de lipídios, com baixo consumo de peixes, principalmente os que vivem naturalmente em águas frias e profundas, podem resultar na deficiência de Ômega 3 DHA e EPA no organismo. Além disso, os peixes popularmente consumidos atualmente, são oriundos de cativeiros o qual são submetidos a rações ricas em Ômega 6, reduzindo dessa forma as concentrações de Ômega 3 DHA e EPA desses animais.

Portanto, a suplementação com Ômega 3 extraído de peixes de águas frias, vai oferecer uma concentração maior de DHA e EPA, que é naturalmente estocado no corpo desses animais.

Porque peixes de águas frias são ricos em DHA e EPA?

Somente peixes de águas frias possuem uma composição rica em Ômega 3 DHA e EPA, diferente das demais fontes derivadas de vegetais. Ou seja, o óleo que é extraído de peixes de águas frias, vai garantir o consumo de níveis satisfatórios de Ômega 3 DHA e EPA, por terem percentuais maiores desses nutrientes.

O elevado teor de Ômega 3 DHA e EPA, encontrado em peixes de águas frias, se deve à sua característica poiquilotérmica, por não conseguirem regular sua temperatura interna, de modo que sua temperatura corporal flutua com a temperatura do ambiente, sendo igual à da água, no caso dos peixes. Por essa característica, eles necessitam estocar um tipo de gordura que mantenha as suas membranas biológicas fluidas e que não se solidifique à baixas temperaturas, o que é possível com maior percentual de Ômega 3 DHA e EPA. Por isso, nem todas as espécies de peixes têm a mesma composição em Ômega 3 DHA e EPA.  

O termo “gordura boa” que é atribuído ao Ômega-3 DHA e EPA se dá justamente porque ele não fica depositado nas artérias, pelo contrário, ele atua na saúde dos vasos sanguíneos evitando o acúmulo de gorduras (aterosclerose). E, esta é uma característica essencial também para os peixes poiquilotérmicos de águas frias, que devido à exposição a baixas temperaturas, necessitam estocar gorduras, como forma de isolação térmica, mas o tipo de gordura precisa ser insaturada para não obstruir a circulação sanguínea, o que poderia levar à morte desses animais.

Como analisar a qualidade do suplemento de Ômega 3?

Atualmente no mercado, existe uma ampla variedade de suplementos de óleo de peixe que prometem oferecer níveis adequados de Ômega 3. Para você não cair em nenhuma armadilha, veja abaixo algumas dicas de como identificar o melhor suplemento de Ômega 3:

1. Alta concentração de DHA e EPA: Os efeitos benéficos que o Ômega 3 exerce sobre a saúde, estão relacionados aos tipos DHA e EPA. Por isso, não é interessante consumir um suplemento de Ômega 3 que não especifique a quantidade de DHA e EPA, que geralmente são os mais baratos do mercado. Observe a quantidade de DHA e EPA e não somente o total de Ômega 3 oferecido. Prefira por suplementos de Ômega 3 com altas concentrações de DHA e EPA e que utilize como ingrediente apenas o Óleo de peixe concentrado. Se há a presença de outros tipos de óleo nos ingredientes, a formulação pode estar diluída, o que diminui a concentração de DHA e EPA.

2. Peixes de águas frias: conforme já visto neste artigo, as fontes mais ricas de o Ômega 3 DHA e EPA, que irão garantir de fato, níveis satisfatórios desses ácidos graxos, são os peixes que vivem em águas frias. O elevado teor de Ômega 3 DHA e EPA, que são ácidos graxos altamente poli-insaturados que é encontrado em peixes de águas frias e profundas, se deve à sua característica poiquilotérmica, que necessitam estocar um tipo de gordura que não se acumule nas suas artérias. Por isso, nem todas as espécies de peixes têm a mesma composição em Ômega 3 DHA e EPA. Sendo que, peixes de águas frias são mais ricos em Ômega 3 DHA e EPA tendo maiores os percentuais desses nutrientes.

3. Procedência da matéria prima: A qualidade do Ômega 3 DHA e EPA pode ser atestada pela certificação IFOS (InternationalFishOil Standards Program), que é o único programa de testes e certificação exclusivo para óleos de peixe, que analisa a presença de contaminantes e metais pesados, estabilidade, pureza e ingredientes ativos como o DHA e EPA. Busque por produtos que utilizam o óleo de peixe que tem esta certificação. No Ômega 3 Super DHA e EPA, é utilizado o óleo de peixe que é produzido pela empresa referência nesta matéria prima a MEG-3 (Canadá). A MEG-3 é certificada e segue padrões internacionais para oferecer um produto da mais alta qualidade e possui certificação com a pontuação máxima (5 estrelas) pela IFOS que é referência mundial no controle de qualidade do Ômega 3. 

Garantir o aporte necessário de Ômega 3 DHA e EPA ao organismo, será refletido sob a saúde e manutenção das funções cerebrais (concentração, aprendizagem, memória), humor (estresse, ansiedade, depressão), melhora dos níveis de colesterol total e da função cardiovascular, saúde da visão, envelhecimento saudável, controle dos processos inflamatórios, regulação das respostas imunes, entre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.