Categorias
Saúde em Foco

A super descoberta do Ômega 3 Vegano!

Quando falamos em Ômega 3, logo pensamos no derivado de Óleo de Peixe. Mas, no Pacífico Norte, foi descoberta uma espécie de cepas de algas denominadas Schizochytrium sp., que produzem naturalmente ácidos graxos essenciais Ômega 3 do tipo docosahexaenoico (DHA) e ácido eicosapentaenoico (EPA). Essas cepas de algas passam por processo de fermentação que permite a sua multiplicação. O seu sistema natural de fermentação assegura o suprimento dos ácidos graxos essenciais Ômega 3 (DHA e EPA) sem depender dos ecossistemas marinhos e da captura de peixes. A microalga Schizochytrium é fonte de Ômega 3, com capacidade natural para produzir o DHA. Por isso, ela apresenta alta concentração de DHA e, EPA em menor quantidade, sendo uma alternativa aos derivados de peixes na suplementação de pessoas que não consomem alimentos de origem animal.

Qual a diferença do Ômega 3 derivado de algas?

É comum encontrar Ômega 3 extraído de peixes de águas frias e profundas que obtém seu Ômega 3 através da cadeia alimentar natural. As algas marinhas, uma fonte original de DHA e EPA, são consumidas pelo zooplâncton, que por sua vez, são consumidos por algumas espécies marinhas de águas frias e profundas. E, é neste ciclo que se garante o teor adequado de Ômega 3 do tipo DHA e EPA para a nutrição humana advindos do consumo destes animais.

A diferença do Ômega 3 extraído de microalgas marinhas Schizochytrium, para as demais fontes de origem vegetal, fica por conta da qualidade nutricional de sua composição. A qualidade do Ômega 3 normalmente é medido pelo teor de DHA e EPA, justamente por serem tipos de ácidos graxos essenciais indispensáveis para muitas funções vitais, ao mesmo tempo que não são produzidos pelo organismo.

A vantagem disso é que as cepas de microalgas de Schizochytrium produzem DHA e EPA, tornando o Ômega 3 VEGAN uma fonte excepcional desses dois ácidos graxos Ômega-3 essenciais. Além disso, o incentivo do cultivo dessas microalgas marinhas promove a proteção da cadeia alimentar natural.

Como o Ômega 3 VEGAN ajuda a natureza?

Em um levantamento realizado em 2016, estima-se que 16 milhões de toneladas de peixes capturados na natureza foram utilizados ​​para produzir óleo e farinha de peixe. Até então, os peixes eram primordiais para assegurar o consumo adequado de Ômega 3 do tipo DHA e EPA em quantidade necessária ao nosso requerimento diário. Com o estudo da composição nutricional das microalgas marinhas Schizochytrium, foi possível quebrar o ciclo da cadeia alimentar de extração de Ômega 3 que dependia de insumos de origem animal.

O Ômega 3 VEGAN é uma alternativa ideal e de alta qualidade aos ingredientes à base de peixe para nutrição humana sustentável. O uso da microalga marinha Schizochytrium ajuda na proteção dos habitats marinhos e a conservar a biodiversidade dos oceanos.  A produção de 1 tonelada de microalgas marinhas Schizochytrium evita que 60 toneladas de peixes sejam capturados na natureza.

Qual a importância de consumir Ômega 3 do tipo DHA e EPA?

Os ácidos graxos poli-insaturados Ômega 3 do tipo DHA e EPA são essenciais para a saúde humana. Os seres humanos e a maioria dos animais não conseguem sintetizar ômega-3 em quantidades suficientes. É por isso que se deve incluir esses nutrientes essenciais para manter uma vida saudável.

  • DHA: Ácido Docosahexaenóico é componente estrutural do cérebro. Quando é fornecido dentre uma variedade de diferentes ácidos graxos, o cérebro parece preferi-lo. Ele está presente na retina, fornece estrutura aos neurônios e é um ponto chave para receptores de neurotransmissores.
  • EPA: Ácido Eicosapentaenoico atua principalmente é sobre o retardo e prevenção de processos inflamatórios, agregação plaquetária (devido à sua ação anti-trombótica) e diminuição das respostas imunes. Ele também tem a sua influência específica importante no sistema nervoso e nos efeitos causados pela reação de inflamação no organismo. Possui efeitos supressores, como inibição da proliferação de linfócitos, produção de anticorpos e citocinas, expressão de moléculas de adesão e ativação das células Natural Killers (NK).

Portanto, os ácidos graxos ômega-3 (EPA e DHA) estão relacionados à mecanismos anti inflamatórios, efeito cardioprotetor, impulsos nervosos, manutenção de estruturas celulares e funções cognitivas.

Quais os benefícios de Ômega 3 VEGAN?

Ele é um produto natural produzido a partir de microalgas marinhas, num processo sustentável, que permite substituir o consumo de Ômega-3 derivado de animais e ainda assim manter sua qualidade nutricional em: DHA, EPA e ainda proteínas de fácil absorção.

Entre os benefícios, podemos destacar:

  • Equilíbrio Ômega 6/ Ômega 3: com uma alimentação moderna que é normalmente excessiva no consumo de Ômega 6, ele ajuda a equilibrar a fração de consumo destes dois ácidos graxos.  
  • Células saudáveis: Ao promover a fluidez da membrana, o DHA ajuda a melhorar a comunicação entre as células do nosso corpo.
  • Efeitos benéficos no cérebro: Quase todo o Ômega 3 do cérebro está na forma de DHA. Uma ingestão adequada de DHA ajuda a garantir que o cérebro continue a funcionar de maneira ideal (concentração, aprendizagem, memória e humor) e também diminui o declínio cognitivo relacionado ao envelhecimento.
  • Saúde Cardiovascular: ele não se deposita nas artérias, atua na saúde dos vasos sanguíneos evitando a aterosclerose, por isso, protege o coração.
  • Efeito anti-inflamatório: aumento da incorporação de ácidos graxos na membrana das células imunes, aumentando a produção dos mediadores lipídicos anti-inflamatórios, regulando a resposta à inflamação.
  • Saúde dos olhos: contribui para o desenvolvimento da retina e a função da visão.

Quem deve consumir o Ômega 3 VEGAN?

Com a sua composição em ácidos graxos Ômega 3 do tipo DHA e EPA, o Ômega 3 VEGAN fornece uma ingestão inteiramente baseada e livre de derivados animais, podendo ser cosumido por qualquer pessoa. A sua suplementação pode ser particularmente recomendada para vegetarianos e veganos, pessoas que consome pouco ou nenhum peixe gordo, em casos de uma alimentação rica em alimentos processados e/ou pessoas ativas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.