Categorias
Saúde em Foco

Conheça o NAC o precursor mais biodisponível da Glutationa

As espécies reativas de oxigênio ou radicais livres são geradas a todo o momento dentro do organismo, com o processo de síntese de energia. A medida que o oxigênio é metabolizado para gerar energia ao corpo, esse processo constitui uma das fontes de síntese de várias substâncias com propriedades tóxicas como os radicais livres. Os radicais livres fazem parte do metabolismo celular e também exercem diversas atividades fundamentais dentro do organismo. Mas pela sua estrutura química que é instável e reativa, eles podem causar alterações e danos em vários sistemas celulares. O aumento da produção desses radicais livres, pode reduzir a capacidade natural de defesa antioxidante corporal. Nestas condições é preciso reforçar a defesa antioxidante para que não ocorra o estresse oxidativo. Existem dois mecanismos para reforçar a defesa antioxidante que é: 1. Aumentar a capacidade de produção antioxidante endógena (interna) ou 2. Consumir compostos com ação antioxidante, para assim conseguir neutralizar a ação dos radicais livres antes que eles causem danos às células. O NAC que é o precursor mais biodisponível da Glutationa, tem a capacidade de reforçar o sistema de defesa antioxidante, por meio desses dois mecanismos, conforme será descrito a seguir.

Para que servem os antioxidantes?

Antioxidantes são substâncias capazes de atrasar, prevenir ou remover danos oxidativos de uma molécula que seja alvo dos radicais livres. Eles podem interromper a propagação da reação em cadeia que os radicais livres ativam, ou diminuir as concentrações localizadas de oxigênio para que os radicais livres não se formem. Como inibidores do processo oxidativo, os antioxidantes ajudam também na redução da inflamação do corpo. Os antioxidantes podem ser produzidos pelo organismo (endógenos) e podem também ser consumidos por meio dos alimentos ou plantas (exógenos). Eles são encontrados em muitos alimentos e suplementos e podem remover espécies reativas de oxigênio e manter o equilíbrio de oxidação/antioxidação em células e mitocôndrias.

Portanto, sua ação principal é capturar e neutralizar os radicais livres para prevenir os efeitos negativos que eles possam causar sobre as células e os órgãos. A deficiência de antioxidantes dentro do organismo pode aumentar o risco para o desenvolvimento de uma variedade de condições, incluindo algumas doenças e a aceleração do processo de envelhecimento.

O que é NAC?  

NAC é a sigla para identificar a N-Acetil Cisteína, que é a forma química mais estável e biodisponível para o aminoácido Cisteína. O NAC é conhecido como o precursor natural mais eficaz na produção da Glutationa.

O nível de Cisteína no organismo, é fator limitante para a produção de Glutationa, um dos antioxidantes mais importantes produzidos pelo organismo. Com isso, o consumo de NAC aumenta os níveis de Cisteína plasmática o que leva ao aumento da produção de Glutationa.

O NAC é um dos únicos compostos capazes de reforçar a defesa antioxidante endógena e exógena, porque atua sobre dois mecanismos. De forma exógena, porque aos ser consumido, ele é capaz de combater os radicais livres com a sua ação antioxidante direta, assim, impedindo os danos oxidativos e, de forma exógeno por ser um precursor natural da Glutationa, sendo capaz de aumentar a produção e os níveis de Glutationa dentro das células. Assim as ações do NAC consistem em restaurar o potencial antioxidante nas células, porque ele aumenta a produção de Glutationa e repõe o seu esgotamento por radicais livres e atua na neutralização das espécies reativas de oxigênio.

A ação antioxidante do NAC é importante para neutralizar os radicais livres e impedir a sua atuação antes que possam causar danos às células. Ao impedir o aumento da produção dos radicais livres e a instalação do estresse oxidativo e limitar a liberação de citocinas no estado inicial de proliferação imunológica, ele também atua como um anti-inflamatório natural.

O NAC ainda pode penetrar a barreira hematoencefálica, o que está relacionado com o aumento dos níveis de Glutationa no cérebro, o que é um fator crucial para a neuroproteção e melhora de certas funções cerebrais. Alguns estudos o consideram útil em terapias associadas à doenças neurodegenerativas e de saúde mental, com potencial ação neuroproteção na prevenção da demência cognitiva relacionada ao envelhecimento.

Glutationa: o mais poderoso antioxidante endógeno

Glutationa é um tripeptídeo formado por Cisteína, Glicina e Ácido glutâmico, encontrado em concentrações relativamente altas em muitos tecidos do corpo. Ela atua na redução do estresse oxidativo, manutenção do equilíbrio dos radicais livres, aumento da desintoxicação metabólica e regulação do sistema imunológico. Alguns estudos associam desordens e doenças no organismo com níveis baixos ou deficientes de Glutationa, como doenças crônicas relacionadas à idade, morte celular codificada ou apoptose em vários processos patológicos, como inflamação, neurodegeneração e até câncer. Já está clara também a sua importância em diminuir a carga de substâncias tóxicas como o mercúrio e poluentes orgânicos persistentes, pela sua capacidade de melhorar a conversão hepática e excreção desses compostos. Sendo assim, podemos dizer que os níveis endógenos de Glutationa no corpo, são importantes para manter a saúde e prevenir doenças.

A Glutationa é o antioxidante mais abundante e mais importante do organismo humano. Ela faz parte da defesa antioxidante endógena, que é produzida pelo próprio organismo, sendo considerada a mais importante de todos eles. Para a defesa antioxidante atuar de forma eficaz, ela precisa ser mais potente que a ação dos radicais livres. Isso significa que os compostos antioxidantes presentes no organismo, precisam estar em maior número para evitar o estresse oxidativo. A Glutationa tem um papel fundamental nos processos fisiológicos críticos, por isso, os seus níveis endógenos são importantes para manter a saúde.

Por que suplementar o NAC?

De acordo com estudos, o consumo isolado da própria Glutationa ou do aminoácido na forma de Cisteína não foram eficazes para aumentar os níveis de Glutationa dentro das células, ao contrário do que se nota com o consumo do NAC. Desta forma, o consumo do NAC vai garantir níveis satisfatórios de Glutationa nas células, reforçando a defesa antioxidante tanto endógena, quanto exógena.

– Precursor natural da Glutationa

– Potente atividade antioxidante

– Anti-inflamatório natural

– Efeito neuroprotetor

– Mucolítico

Referências:

Pizzorno J. Glutathione! Integr. Med. 2014;13:8–12. 

Franco R., Schoneveld O.J., Pappa A., Panayiotidis M.I. The central role of glutathione in the pathophysiology of human diseases. Arch. Physiol. Biochem. 2007;113:234–258.

Ballatori N., Krance S.M., Notenboom S., Shi S., Tieu K., Hammond C.L. Glutathione dysregulation and the etiology and progression of human diseases. Biol. Chem. 2009;390:191–214.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.