Categorias
Saúde em Foco

Magnésio: Os efeitos colaterais que não te contaram!

A suplementação com Magnésio é uma prática cada vez mais comum, seja pela indicação clínica para corrigir a deficiência de Magnésio, quanto para prevenir a sua deficiência. Já é consenso entre os estudiosos da área que cerca de 60% da população está em risco para apresentar deficiência de Magnésio no organismo. Existem determinadas situações que aumentam a demanda deste mineral no organismo, ou que aumentam a sua excreção o que poderia levar à sua deficiência. Além é claro de uma alimentação pobre em seus alimentos fontes que são vegetais folhosos, grãos, sementes, leguminosas e cereais. Atualmente no mercado de suplementos existem diversas formas de apresentação de Magnésio. Eles se diferenciam no seu teor elementar, ingredientes, taxa de absorção e conforto digestivo. O que poucas pessoas sabem é que o Magnésio se consumido em doses superiores às necessidades, pode de fato causar alguns efeitos colaterais.

A escolha do suplemento de Magnésio

Após a indicação de suplementação de Magnésio, deve-se escolher a forma que será suplementada. Algumas características desse suplemento devem ser levadas em consideração como:

  • Ingredientes: Na forma de suplemento, o Magnésio estará sempre associado a um ou mais ingredientes. Por isso, a formulação deve ser analisada por meio dos ingredientes que ela compõe. Prefira por formas em que o Magnésio esteja “quelato”, que terá uma maior taxa de absorção e aproveitamento no organismo. Alguns Suplementos quelatode  Magnésio são: Magnésio Dimalato, Magnésio Glicina, Magnésio Taurato, Citrato de Magnésio. Além de ajudar a aumentar a biodisponibilidade de Magnésio, os demais ingredientes podem servir como um guia para conduzir o Magnésio para determinada função.
  • Teor nutricional: O teor de Magnésio ou a quantidade de Magnésio elementar é quantidade de Magnésio que de fato você irá consumir. Essa quantidade deve estar descrita na tabela nutricional e estar de acordo ou aproximado ao que o seu médico ou nutricionista prescreveu. Nem sempre o suplemento com maior quantidade de Magnésio será melhor, pois deve-se levar em consideração a sua necessidade individual. Além disso, uma dosagem um pouco acima da sua necessidade pode causar efeitos colaterais.
  • Conforto digestivo: O Magnésio está envolvido com o processo de digestão e com a produção de ácido clorídrico, por isso, algumas formas de Magnésio podem causar certos desconfortos por estimular essas funções. Para este fator não existe uma regra fixa, apesar de se saber que realmente algumas formas podem não ser bem toleradas como é o caso do Óxido de magnésio. Aqui será levado em consideração, muito mais a percepção de cada indivíduo após o consumo. Ou seja, a sua tolerância e percepção, será uma das medidas para a escolha do suplemento.

Quais os efeitos colaterais do Magnésio?

Em alguns estudos com a administração do Magnésio para efeito analgésico, os autores apontaram que ele causou alguns efeitos adversos como tontura, sonolência, diarreia, cãibras, fraqueza e rubor. Mas esses efeitos possivelmente foram causados com doses muito elevadas de Magnésio, o que não seria comum apenas com o uso de suplementos. Entretanto, como todo suplemento, se consumido em doses elevadas ele poderá causar efeitos adversos como: desconforto gastrointestinal, movimento intestinal incomum, náuseas, dores abdominais e diarreia. O Magnésio participa da produção de ácido clorídrico no estômago e ajuda no estímulo do sistema digestivo. Isso significa que aumentar ou estimular essas funções vai ocasionar desconfortos gástricos. Existe pessoas que naturalmente já percebem que o seu intestino possui um funcionamento mais acelerado, por isso, estas pessoas também podem sentir algum desconfortos mesmo com o uso de Magnésio dentro do indicado. O aumento dos movimentos intestinais (peristaltismo) causado pelo Magnésio pode causar diarreia, bem como o estímulo da produção do ácido clorídrico pode causar dores abdominais e náuseas. Conforma já mencionado, para esta característica, não existe uma regra fixa, mas a dose recomendada deve ser respeitada, bem como a sua tolerância deve ser observada. Se surgir algum desconforto relacionado ao consumo de suplementos de Magnésio, algumas pequenas mudanças podem melhorar a sua tolerância:

  • Diminuir a dose: A causa pode ser a quantidade ingerida, por isso, diminua o consumo da dose. Isso pode significar consumir a metade da dose recomendada, até o organismo se adaptar com o Magnésio, até você tolerar melhor e assim retornar à dosagem original.
  • Não consumir em jejum: Consumo a o suplemento junto à uma refeição, assim, você irá “retardar” o processo digestivo, diminuindo as chances de desconforto.
  • Fracionar a dosagem: Consumir o suplemento com espaços entre a dosagem. Isso significa consumir em diferentes horários o mais distante possível. Por exemplo: 1 cápsula pela manhã e 1 cápsula à noite.

Fique atento que alguns medicamentos também podem interagir com o consumo de Magnésio, por isso, leia a bula para verificar se não há essa interação, ou até a diminuição do efeito do referido medicamento.

Quais as melhores formas de Magnésio?

Algumas formas de suplementos de Magnésio têm menores chances de causar desconforto gastrointestinal e efeitos colaterais. Geralmente eles são melhores tolerados porque são associados à moléculas orgânicas. Portanto, se você já possui alguma desordem gastrointestinal como refluxo, gastrites ou percebe que tem um funcionamento intestinal aumentados dê preferência para os suplementos: Magnésio Dimalato, Citrato de Magnésio, Magnésio Glicina e Magnésio Taurato. Evite o Óxido de Magnésio e o Cloreto de Magnésio P. A.

O Cloreto de Magnésio P. A. é um excelente suplemento de Magnésio, mas tem mais chances de causar algum efeito indesejado com doses um pouco aumentada. Ele pode acelerar o movimento do intestino e provocar diarreia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *