Categorias
Saúde em Foco Suplementos

Qual Magnésio é melhor para você?

Entenda qual é o magnésio mais indicado para o que você busca

O magnésio é um mineral muito importante para a saúde e o bem estar. Ele está presente em diversos órgãos, sistemas e é essencial em muitas reações bioquímicas e funções celulares. Além de estar presente em alguns alimentos, ele pode ser disponibilizado por meio de suplementos alimentares a base de magnésio. Entretanto, estes suplementos de magnésio podem ser encontrados em diversas formas químicas de apresentação, o que gera muita dúvida no momento de escolher qual o melhor magnésio.

Para que serve o Magnésio?

O magnésio faz parte de um grupo de micronutrientes que são essenciais para a saúde humana e por isso, precisam ser consumidos diariamente. Ele ativa mais de 300 enzimas para realizar reações metabólicas dentro do organismo. Isso mesmo! Para centenas de atividades biológicas acontecerem dentro do organismo, elas precisam da presença de magnésio. É por isso que ele é importante para diversas funções, levando em consideração a quantidade de atividades que dependem dele. Portanto, ele serve para manter o coração batendo, para o músculo se movimentar, para a transmissão nervosa, para gerar energia, para manter o fluxo sanguíneo e pressão arterial normal, manter os níveis de glicose, para as funções cerebrais, para o sistema digestivo, para a permeabilidade celular, para a manutenção dos ossos e articulações, para a coagulação sanguínea e atua no sistema imune. Estando claro que centenas de reações dependem do magnésio para acontecerem, não fica difícil entender que precisamos dele diariamente, afinal, estas reações acontecem a todo o momento dentro do organismo.

Qual a recomendação de consumo?

Quando não há um consumo adequado de magnésio, desenvolve-se um quadro de deficiência ou Hipomagnesemia. A falta de disponibilidade de magnésio pode ser refletido em algum prejuízo sobre as funções que ele exerce. O nosso corpo não é capaz de produzir o magnésio, então ele precisa ser consumido todos os dias em uma quantidade adequada de acordo com sexo, faixa etária e condição de saúde. Veja na tabela abaixo, a recomendação média de adultos para o consumo diário de magnésio:

Ingestão de referência para magnésio:

HomensIngestão dietética recomendada (RDA)
19 – 30 anos400 mg
≥ 31 anos420 mg
MulheresIngestão dietética recomendada (RDA)
19 – 30 anos310 mg
≥ 31 anos320 mg
GestantesIngestão dietética recomendada (RDA)
19 – 30 anos350 mg
31 – 50 anos360 mg
LactantesIngestão dietética recomendada (RDA)
19 – 30 anos310 mg
31 – 50 anos320 mg
Fonte: IOM, 1999 (Institute of medicine)

Porque suplementar magnésio?

Apesar do magnésio ser encontrado em algumas fontes alimentares, principalmente de origem vegetal, existem alguns fatores que podem diminuir a sua absorção e outros fatores que podem aumentar a sua excreção através da urina. Pensando no tamanho da importância do magnésio, é cada vez mais comum encontrar profissionais da saúde que vêm incentivando a sua adequação alimentar e quando isso não é possível, recomendando a sua suplementação. Por isso, quando há uma dieta pobre em vegetais ou na presença de fatores que alteram a sua biodisponibilidade é preciso fazer o uso de suplemento de magnésio. Já se tem entendimento que por meio da suplementação é possível repor o magnésio que o organismo precisa em quantidades necessárias para que ele exerça todas as suas funções corretamente.

Quais as principais formas de magnésio?

Existem no mercado alguns tipos de magnésio e isso causa certa dúvida na hora da escolha. Dentre as formas químicas do magnésio, podemos destacar: Magnésio Dimalato, Magnésio Treonato MAGTEIN™, Magnésio Quelato (Magnésio Glicina), Cloreto de Magnésio P. A., e Citrato de Magnésio. Todas essas formas de magnésio, são suplementos associados ou quelados a um segundo elemento. A diferença entre eles se baseia na associação deste segundo elemento, que pode contribuir para a questão da absorção e assimilação do organismo, ou para atuar de forma um pouco mais específica. Além da interferência na forma de absorção, este elemento serve como um “guia” para conduzir o magnésio para determinada função, ou ele por si só, potencializa ou exerce benefício no organismo em conjunto com o magnésio. Eles podem ser oferecidos de forma isolada, sendo o único ingrediente da formulação, como é o caso do Magnésio Dimalato ou associados entre si, como por exemplo, um único suplemento que ofereça o Cloreto de Magnésio P. A. + Magnésio Quelato.

Qual o melhor?

Afinal, como saber qual o melhor magnésio? Quando falamos em suplementos de magnésio, primeiramente, o melhor tipo será aquele que passou por processo de quelação (quelato ou quelado).  Este é um processo químico que une o mineral magnésio à um elemento ligante, podendo ser um aminoácido ou outro componente orgânico. Isso faz com que o magnésio seja melhor aproveitado pelo organismo. Entendido isso, o próximo passo é saber qual a sua necessidade ou indicação para a suplementação de magnésio. Isso mesmo! O melhor magnésio será aquele cuja a aplicação clínica ou indicação seja a que você busca. Entenda a aplicação clínica para cada tipo de magnésio:

Magnésio Dimalato

O que é: Magnésio ligado ao Ácido Málico. A combinação com ácido málico transforma o magnésio em um composto orgânico, de alta biodisponibilidade e que não provoca desconforto gástrico. Contribui para a produção de energia do corpo, já que o ácido málico participa do ciclo de Krebs que é um sistema responsável pela energia de todas as células. Aplicação clínica: Dor muscular e articular, fadiga, insônia, TPM, fibromialgia.

Magnésio L-Treonato MAGTEIN™

O que é: Magnésio ligado a L-Treonina. Nesta composição o magnésio torna-se capaz de atravessar a barreira hematoencefálica, chegando até as camadas do cérebro. Com isso, a sua atuação torna-se mais específica e relacionadas as atividades cognitivas e todas as funções relativas à bioquímica e saúde do cérebro. Aplicação clínica: Atividades cognitivas, saúde cerebral, insônia, depressão.

Magnésio Quelato (Magnésio Glicina)

O que é: Magnésio associado a glicina. É uma forma química com excelente biodisponibilidade e muito indicado para reposição de magnésio em quadros de deficiência. Além de ser mais comum e fácil de ser encontrado, possui excelente custo x benefício. Aplicação clínica: Ansiedade, depressão, estresse, insônia, enxaqueca, hipertensão arterial.

Cloreto de Magnésio P. A.

O que é: Composição de magnésio com Cloro. Nesta forma significa que a formulação contém um íon de Magnésio para cada dois de Cloro e isso torna o magnésio melhor disponível para absorção no organismo, como se ele fosse melhor reconhecido e diversos órgãos e sistemas. O cloreto (íon de cloro) é responsável por diversas funções mantenedoras do corpo, como por exemplo: segurar o sangue dentro dos vasos sanguíneos, contrair e relaxar os músculos, conduzir transmissões nervosas, manter o bom funcionamento do fígado, para a produção de ácido clorídrico. Aplicação clínica: Melhora da função intestinal, prevenção de câimbras, recuperação muscular, arritmias cardíacas.

Citrato de Magnésio

O que é: Magnésio associado ao Ácido Cítrico. Nesta Composição o magnésio também apresenta excelente biodisponibilidade e digestão e, o seu consumo prolonga e eleva os níveis de magnésio no organismo. Aplicação clínica: Constipação intestinal, manutenção óssea, saúde muscular, cardiovascular e do sistema nervoso e aumentar a disposição.

Lembrando que, todo o suplemento alimentar de magnésio, tem a mesma finalidade que é a de oferecer o mineral magnésio que por ventura possa não estar sendo suficientemente oferecido por meio da alimentação ou que exista alguma doença, ou fator que leve o seu organismo a aumentar a sua necessidade diária. É importante procurar um profissional nutricionista para avaliar a sua necessidade e adequação alimentar para magnésio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *