Categorias
Nutra-se Saúde em Foco

Suplementação na gestação: quando iniciar o consumo de Ômega 3 e Ácido fólico?

Entenda qual o melhor momento para iniciar a suplementação de Ômega 3 e Ácido fólico e qual a importância deles na gestação.

O período da gestação é uma fase fisiológica da mulher que é marcada por muitas alterações biológicas. Para suprir toda a demanda que é necessária para este período, muitos nutrientes tem sua necessidade aumentada. Tanto para fornecer suporte à gestante que passa por muitas mudanças, quanto para o desenvolvimento e crescimento do feto. A alta demanda de nutrientes nem sempre é suprida por meio da alimentação normal, sendo a suplementação indicada para este período, para que o desenvolvimento fetal não seja prejudicado pela deficiência nutricional da mãe. Pensando na relação que a nutrição da gestante exerce sobre a saúde do bebê, vamos falar sobre a suplementação na gestação, quando iniciar o consumo de Ômega 3 e Ácido Fólico e qual a importância deles.

Qual o momento correto para iniciar a suplementação?

O estado nutricional da mulher antes da concepção, pode determinar como será o desenvolvimento do feto. Por isso, as tentantes já devem considerar o uso de suplemento de Ácido fólico e Ômega 3 e, prestar atenção na sua alimentação com relação à qualidade nutricional, afim de garantir um ambiente propício ao desenvolvimento fetal. A disponibilidade de nutrientes para o feto será garantida por meio da nutrição da mãe, que antes mesmo da concepção, deve preparar um ambiente propício e disponível em nutrientes e energia para o desenvolvimento do embrião. Isso vai evitar que o embrião fique suscetível às carências alimentares da mãe. Para as mulheres que desejam engravidar, a dieta já deve ser monitorada e a suplementação de Ômega 3 e Ácido fólico, deve ser avaliado e iniciado antes mesmo da concepção.

Toda gestante deve fazer uso de suplementação de Ômega 3 e Ácido fólico?

Após a fecundação, com o desenvolvimento do embrião, ocorre uma proliferação celular muita rápida e isso demanda muito fluxo sanguíneo, energia e nutrientes que vão ajudar nessa tarefa. Por isso, este é um período crítico em que a mulher precisa ter um bom aporte nutricional que deve ser oferecido por meio de sua alimentação. Entretanto, a necessidade é tão alta, que somente a alimentação normal pode não conseguir suprir toda a alta demanda de nutrientes. Por isso, a suplementação de Ômega 3 e Ácido fólico deve ser inserida na sua nova rotina, para garantir o suprimento para as suas necessidades e às do feto. O Ômega 3 e Ácido fólico ajudam a garantir o crescimento fetal saudável.

Qual a importância do Ácido fólico?

O Ácido Fólico (ou Vitamina B9) é uma vitamina hidrossolúvel essencial para a saúde humana, sendo necessário o seu consumo diário. Independente da situação ou fase da vida, ela é necessária para a manutenção da saúde. Entretanto, no período gestacional ela tem a sua demanda aumentada, principalmente, por ser fundamental na formação do tubo neural do feto, que é a estrutura que dá origem a formação humana. No início, o tubo neural não passa de um emaranhado de células, que se replicam a uma velocidade muita rápida, que vão continuar a se desenvolver e se transformar em estruturas como o cérebro e a medula espinhal. Este é o alicerce para a formação do bebê, sendo o tubo neural já formado nos primeiros dias de concepção. Por isso, o Ácido fólico é tão importante nesta fase e precisa estar disponível para quando ocorrer a concepção. Os países que adotaram a fortificação de Ácido fólico em alimentos e avaliaram esta estratégia, observaram uma redução variando de 19 a 78% na prevalência de defeitos do tubo neural. A má formação do tubo neural pode levar à problemas congênitos (anencefalia, espinha bífida e Encefalocele), sendo o Ácido fólico o fator mais importante para atuar na prevenção de defeitos nessa estrutura. Além disso, o Ácido fólico auxilia na síntese de aminoácidos e na formação das células vermelhas do sangue, na proliferação celular, auxilia no funcionamento do sistema imune e no metabolismo da homocisteína.

Para exercer todas as suas funções corretamente, o Ácido fólico precisa passar por algumas reações no intuito de ser convertido para a sua forma ativa. Mas para isso, ele precisa passar por todas as etapas de conversão sem que haja nenhuma disfunção do organismo ou falta de alguma enzima necessária nestas funções. Como a ativação do Ácido fólico é um processo que depende de alguns fatores propícios à isso, o consumo de Metilfolato pode ser indicado durante a gestação. O Metilfolato é a forma ativa do Ácido fólico, que garante 100% de absorção e com isso, melhor aproveitamento dentro do organismo.

Qual a importância do Ômega 3?

É importante destacar que a importância do Ômega 3 é atribuída principalmente pelos tipos: DHA e EPA. Estes são nutrientes essenciais para o desenvolvimento do feto e estão ligados a função neurológica e visual. O DHA é o principal ácido graxo que compõe a estrutura do cérebro e da retina, por isso, durante o desenvolvimento do feto ele se acumula nessas áreas. Ômega 3 DHA e EPA tem fundamental função na estrutura neurológica, funções cerebrais, formação da retina, desenvolvimento cognitivo, comunicação de impulsos nervosos e fluidez celular.

O suprimento de Ômega 3 DHA e EPA para o feto é feito pela placenta, cujo fornecimento vai depender da disponibilidade da mãe. E, assim acontece após o nascimento do bebê, que o fornecimento também depende da mãe e é feito por meio da amamentação. Entretanto, existem alguns fatores que podem, diminuir o aporte de Ômega 3 DHA e EPA na gestação, que é uma nutrição inadequada da mãe, gestações frequentes e múltiplas baixo consumo de peixes de águas frias e profundas e a própria condição da gestação que leva à um maior risco de deficiência de ômega-3 pela alta demanda do feto. Portanto, a mãe precisa receber um aporte adequado de Ômega 3 DHA e EPA, sendo a suplementação indicada para garantir o perfeito desenvolvimento do sistema nervoso e visual do bebê, que pode ter influência nas funções cognitivas na vida adulta.

Estudos apontaram que a suplementação de Ômega 3 DHA e EPA durante a gestação foi associado a um maior nível de atenção em crianças aos cinco anos de idade, além de ter efeitos sobre a saúde mental da mãe. Outro estudo relacionou o baixo consumo de Ômega 3 DHA e EPA com o risco aumentado para os sintomas depressivos tanto na gestação, quanto no pós parto.

Como escolher o melhor suplemento?

A qualidade do suplemento de Ômega 3, será determinada pelo tipo de matéria-prima utilizada e a quantidade de DHA e EPA presente na composição. Prefira óleos de peixe cultivados em águas frias e profundas, que vão ter dosagens maiores de DHA e EPA, que tenham seu conteúdo analisado e certificado quanto a pureza e livre de metais pesados. É importante que o suplemento ofereça o mínimo de 200 mg/dia de Ômega 3 que é a recomendação deste nutriente para gestantes.

Já para o Ácido fólico, procure por suplementos na forma de Metilfolato, que é a forma mais ativa da vitamina. Para que o Ácido fólico seja absorvido e exerça todas as suas funções, ele precisa ser convertido para a sua forma ativa dentro do organismo. Entretanto, existem pessoas que manifestam alterações genéticas no qual apresentam uma inadequação da atividade da enzima Metiltetrahidrofolato redutase (MTHFR), que é responsável pela ativação do Ácido fólico, o que pode comprometer a sua disponibilidade e com isso, a sua função. Na forma de Metilfolato ele não precisa ser convertido dentro do organismo, por isso, ele tem a sua metabolização facilitada e disponibilidade imediata após o consumo. Isso facilita e garante o uso correto do ácido fólico, para que ele exerça todas as suas funções sem impedimento. O Gestan Upper é um suplemento a base de óleo de peixes cultivados em águas frias e profundas, que possui certificação técnica para a pureza, metais pesados e teor de Ômega 3 DHA e EPA e é combinado com o Metilfolato (Ácido fólico). Ele é um suplemento alimentar que visa oferecer o Ácido fólico (Vitamina B9) em sua forma mais ativa e adequar as necessidades diárias de ácidos graxos essenciais Ômega 3 DHA e EPA, que por ventura possam não estar sendo suficientemente oferecidos por meio da alimentação. Levando em consideração a importância que esses nutrientes exercem na saúde de tentantes, gestantes e lactantes, a suplementação de Ácido fólico e Ômega 3 DHA e EPA pode ser indicada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *